<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d2979558662565739220\x26blogName\x3dUnimaginative\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://unimaginativekid.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://unimaginativekid.blogspot.com/\x26vt\x3d-4019006269203831654', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, 18 de outubro de 2009 Y 11:42

Você me trás sorte, meu amor.

Meu dia de sorte começou dando errado.Levantei tonta de sono e bati o joelho na quina da cama. Saí correndo atrasada, só pra perceber, no meio do caminho, que tinha festido minha farda do avesso. Chegando na escola, descubro que tinha prova de Literatura, matéria na qual eu estava boiando. Pesquei errado e ainda fui pega pelo professor. No recreio, resolvo afogar minhas mágoas num copo de coca-cola. Até que, surpresa, alguém esbarra em mim e me faz derramar todo o refri na blusa (agora já do lado certo). Minha vontade era de chorar, me enterrar no chão, sumir, desaparecer da face da terra. Era azar demais pra uma pessoa só! Até que você chegou com aquele sorriso imenso e cintilante, perguntando se eu estava bem. Literalmente, acho que foi a partir daquele dia que a sorte começou a sorrir pra mim.
(pauta para a capricho - seu dia de sorte)
por Lud às 11:42 @



domingo, 11 de outubro de 2009 Y 17:32

ohvida
meu problema é que não sei o que quero. ou quem quero. Já quis ser médica, presidenta, embaixatriz, fashionista, jornalista. Já me apaixonei pelo cafa, pelo nerd, pelo amigo, pelo vizinho, pelo amigo do vizinho. Já tive vontade de morar num sotão em Paris, numa cabana na praia, na casa do meu pai. Não importa o que eu escolha, sempre vai ter algo que eu não vivi, um sonho que não realizei, uma sensação que não provei, um caminho que não sei onde vai dar. E isso me dá uma angustia danada. Mas quando penso em eu, você, uma casinha bonita e uma pilha de livros, nenhum outro tipo de felicidade me parece interessante. você me basta.


Olá, meu nome é Ludmila e eu sou viciada em música ruim
Olha, o que vou te dizer agora é super secreto, então, por favor, não conte pra ninguém. Todo mundo faz coisas das quais se envergonha, por isso nem venha me julgar. Tem gente que assiste Brazil’s Next Top Model enquanto come um pote de sorvete. Algumas pessoas dormem abraçadas a bichos de pelúcia de nomes constrangedores. Outras fingem não poder sair sábado à noite, só pra ficar em casa lendo um livro mulherzinha. Mas eu? Eu sou muito pior! Porque além de fazer todas essas coisas, eu também escuto Jonas Brothers. E Miley Cyrus. E Taylor Swift. E mais todas essas outras bandinhas que, pra manter a minha reputação, eu não podia gostar. Mas aí, que alívio é poder contar isso para alguém. EU ESCUTO DISNEY POP, e daí? Ai, psiu, acho que falei alto demais. De novo, te peço que não repita isso para ninguém. É que tem coisas que são boas, mas melhores ainda quando feitas em segredo.
por Lud às 17:32 @



quinta-feira, 8 de outubro de 2009 Y 10:00

Ultimamente, tudo parece ser culpa do Enem. Minha viagem de formatura foi adiada pela nova data. Tenho amigos que tiveram um surto nervoso. A ansiedade e a preocupação de ter que fazer a prova e o vestibular das estaduais na mesma semana me embrulham o estômago. Os 4 milhões de concorrência, a possibilidade de uma nova fraude e a bendita da interdisciplinaridade são o tema de todas as minhas conversas. Saber que esse inferno vai se prolongar ainda mais me deixa desanimada. Eu desistiria, se já não tivesse esperado tanto.
Mas, desespero à parte, acho que o pior de tudo é não saber como as coisas vão ficar. Aliás, mentira, não é não. O pior de tudo mesmo é que, se eu tivesse feito aquela prova, estaria agora a caminho da faculdade dos meus sonhos.
(enem- pauta para o site)
por Lud às 10:00 @



sexta-feira, 2 de outubro de 2009 Y 11:57

Nunca fui de grandes revoluções. Se eu fosse invisível entao, não faria nada muito grande.
Invisível, eu prestaria vestibular pra Jornalismo. Usaria combinações de roupas malucas. Diria aquelas verdades duras, mas necessárias. Aprenderia a andar de bicicleta. Levantaria a mão na aula pra dizer "não entendi". Leria "O Diário da Princesa" em público. Não controlaria aquela gargalhada alta e espontânea. Não me preocuparia com meu cabelo parecendo um ninho ou minhas bochechas vermelhas. Choraria de raiva, sem medo de ferir o meu orgulho. Confessaria com todas as letras que te amo, só pro caso de você não ter entendido as minhas tímidas indiretas.
Invisível, eu faria todas aquelas coisas que quero, mas tenho medo de fazer. É só que ás vezes é mais fácil assumir os riscos quando nao tem ninguem lá pra te ver errar.
por Lud às 11:57 @



ah, oi.

Ludmila. Não sabe andar de bicicleta, nem de salto.
Não sabe ficar brigada (mas, nao confunda, sabe brigar).
Não sabe o que quer da vida.
Não sabe parar de ler.
Não sabe rir baixo, não sabe amar de pouco.
Obviamente, também não sabe fazer um perfil
.




tecs

twittando
orkutando
TAGBOARD



ARCHIVES
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Fevereiro 2008
Março 2008
Junho 2008
Novembro 2008
Janeiro 2009
Fevereiro 2009
Março 2009
Abril 2009
Maio 2009
Junho 2009
Julho 2009
Agosto 2009
Setembro 2009
Outubro 2009
Novembro 2009
Dezembro 2009


CREDITS
Template (sweetpulchritude-)
Idea (`vanessa_)
Design (LGM